A verdade sobre o colesterol

Entenda tudo sobre o colesterol, o que causa seu aumento, os tipos, e com quais alimentos vocês realmente deve se preocupar. 



No artigo de hoje vamos entender melhor sobre o colesterol e aprender quem é o verdadeiro vilão no processo de formação de placa de ateroma, o terror dos cardíacos pelo mundo afora! 

Vou começar com uma informação que todo mundo sabe, ou pelo menos já ouviu falar: O consumo de gordura saturada aumenta os níveis do LDL sanguíneo, que provavelmente em um futuro próximo irá te matar do coração! Isso é uma panaceia repetida pelos quatro cantos do universo. 

Será que é simples deste jeito mesmo? É ver uma picanha e sair correndo gritando “salve-se quem puder?”. Não é bem assim meus amigos. 

O LDL, também conhecido, por leigos na ciência da nutrição, como “colesterol ruim”, tem fama de vilão no meio do povão. 

Todos os males imagináveis pela medicina que se relacionem a doenças do coração são atribuídos ele. A maioria dos médicos afirma de pé junto que ele é o principal causador da placa de ateroma. E fazem diversas recomendações dietéticas para seus pacientes sem nenhum fundo científico. 

Isso mesmo, porque no curso de Medicina primeiro que ninguém estuda nutrição, e depois que a ciência já avançou e já sabe muito mais sobre esta pequena partícula do que julga nossa vã filosofia nutricional. 

O LDL é uma proteína de baixa densidade utilizada para “empacotar” os excessos de macronutrientes que chegam ao fígado e enviar para a corrente sanguínea em busca de tecidos que necessitem destes nutrientes. 

Agora vamos a algumas informações básicas a respeito:

Mais de 70% das partículas de LDL são formadas por triglicerídeos. Opa! Aqui temos uma informação importante: Diferente do que lhe ensinaram na escola, são os triglicerídeos em excesso que sobem os seus níveis de LDL! 

E você sabe o que faz subir os níveis de triglicerídeos no sangue? Consumo de refinados! Isso mesmo! Pães, massas, bolos e biscoitos são os responsáveis pelo aumento dos triglicerídeos sanguíneos. 

Só por aí já teríamos tirado a culpa da subida do LDL da gordura saturada, mas a ciência já foi mais a fundo, e vamos entender mais a respeito do assunto. 

Já se sabe também que existem 2 tipos de LDL: O Padrão A e o Padrão B. 

O padrão A, é o “LDL saudável”, pois ele é formado por partículas maiores, menos densas, menos oxidadas e por isso não se depositam nas artérias, ou seja, não formam placa de ateroma. 

 E é exatamente este padrão que a gordura saturada faz aumentar no organismo. Ou seja, os 30% restantes dos seus LDLs que realmente aumentam com o consumo de gorduras saturadas não fazem mal a saúde! Ótima notícia né? Ok! 2 a 0 pra gordura saturada! 

Mas e o padrão B, de onde vem? 

Já o padrão B, é formado por pequenas partículas, muito densas e muito oxidadas, principais responsáveis pela aterosclerose. Este padrão B sobe de acordo com o consumo de carboidratos refinados. Quanto mais alto os seus níveis de triglicerídeos (que medem diretamente o consumo de refinados), mais alto o padrão B do seu LDL.

Ahá! Então agora o mistério está desvendado! São os alimentos refinados os responsáveis por mais de 70% da elevação do seu colesterol LDL, e justamente do LDL padrão B, o que causa placa de ateroma! 

Mas o terror não para por ai. Mesmo as suas partículas de LDL padrão A (saudáveis) podem virar padrão B (ruins) se elas forem oxidadas pelo excesso de insulina no sangue. 

Então vamos lá, informação nova, o excesso de insulina é capaz de oxidar o LDL de padrão A e fazê-lo virar padrão B e se depositar nas artérias. Meu Deus, e como faço pra evitar isso? 

Ai é que vem o segredo. A insulina é um hormônio anabólico que é liberado quando o a sua glicemia sobe. A sua glicemia sobe quando você consome carboidratos refinados... E chegamos neles de novo! Parece que tudo de ruim que acontece relacionado a placa de ateroma está ligado diretamente aos alimentos refinados! E é exatamente isto! Já está mais que comprovado cientificamente. 

Recapitulando: 


  1. Quanto mais carboidratos refinados você come 
  2. Mais sobem os seus triglicerídeos 
  3. Mais sobe o seu LDL padrão B (ruim) 
  4. E mais você corre o risco de morrer do coração! 
  5. Agora sim: “Salve-se quem puder!” ;)


Mas eu não poderia falar do LDL e não falar do HDL, o colesterol conhecido como “amigo do coração”. O HDL é uma proteína de alta densidade, responsável por retirar todo o “lixo” que circula na corrente sanguínea e levar para ser incinerado no fígado. Muitos leigos o chamam de “colesterol bom”. 

E adivinha quem são os principais alimentos responsáveis pela subida do HDL? Os ricos em gordura saturada! Isso mesmo, carnes, ovos e derivados de leite são os melhores amigos do seu coração! 

Além de só aumentar o LDL padrão A, que não prejudica o organismo, o consumo de alimentos ricos em gordura saturada aumenta também o HDL, que é um dos principais responsáveis pela “limpeza” do seu sangue. 

Por isso meu amigo, não tenha medo das gorduras naturais dos alimentos. Tudo aquilo que a sua vó comia lá na roça e viveu até os 100 anos continua sendo saudável até hoje. A verdade não muda, NUNCA!

Os grandes vilões da sociedade moderna são os alimentos refinados, principalmente os carboidratos como pães, massas, doces, bolos e biscoitos. 

Evite também as frituras feitas com óleos vegetais parcialmente hidrogenados (soja, milho, algodão, canola, etc) e margarinas, que são gorduras trans, estas sim, comprovadamente tóxicas para o organismo humano!

Boa Dieta, muita saúde e até a próxima!

Como sair do platô da perda de peso?

Hoje vou falar sobre um assunto que o pessoal da Comunidade no Facebook sempre pergunta: Parei de perder peso, o que faço para sair do platô?

Primeiro é importante afirmar que o famoso "efeito platô" é perfeitamente normal na perda de peso. Chega uma hora que o seu corpo por questões fisiológicas já não permite mais a queima de gordura da mesma forma que antes, e o emagrecimento  acaba estacionando, mesmo você fazendo a dieta toda direitinho.

Em segundo lugar, estas estratégias devem ser utilizadas somente por quem faz a dieta Low Carb, ou seja, a pessoa deve estar cetoadaptada, que quer dizer que o seu organismo deve estar adaptado a queimar gordura como forma de energia.

ENTÃO REPETINDO: AS ESTRATÉGIAS AQUI ENSINADAS SÓ DEVEM SER UTILIZADAS POR PESSOAS QUE FAZEM A DIETA LOW CARB E MESMO ASSIM NÃO PERDEM PESO.

Ai que entram as estratégia para sair do platô. Vou falar das principais:

Jejum Intermitente

Uma vez por semana, repetindo, apenas uma vez por semana, você pode dar um "choque" no seu metabolismo fazendo um jejum. Mas como ele funciona?

1º - Jejum de 18 horas

Almoce normalmente e não coma mais nada. Pode beber água e tomar vitaminas se quiser (principalmente complexo B é interessante), mas não coma mais nada até o outro dia de manhã. Quando você poderá fazer a sua refeição matinal e voltar a comer normalmente. 

Faça uma vez por semana por vários meses.

Depois que este "choque" não fizer mais efeito e o seu organismo já estiver bem adaptado a este jejum de 18 horas, você pode passar a fazer o de 24 horas, da seguinte forma:

2º - Jejum de 24 horas

Você almoça normalmente e só vai comer alguma coisa no almoço do outro dia.

IMPORTANTE: Só pratique este jejum depois que já estiver bem adaptado ao de 18 horas.

O resto é o mesmo esquema, deve beber água e se quiser pode tomar vitaminas também durante o jejum, mas nada de comida, nem sucos, nem sopas, etc!

Lembrando, é para fazer isso semanalmente! Não inventem variações próprias que poderão prejudicar a saúde de vocês.

Quando os jejuns já não estiverem fazendo efeito você terá que começar a modificar a sua dieta:

- As quantidade calóricas de uma clássica dieta low carb é: 60% de Gorduras; 20% de Proteínas e 20% de carboidratos na forma de verduras e fibras. Então, outra coisa que você pode fazer junto com o jejum é passar a sua dieta para 90% de gorduras e 10% de proteínas.

2º - Se nada disso funcionar, você ainda poderá modificar mais a dieta, e terá que diminuir a quantidade de comida para 1500 calorias por dia, dependendo da sua dieta anterior, ainda em 90% de gordura e 10% de proteínas, e ainda fazendo o jejum intermitente semanal, para poder sair do platô. Isso pode cair até 1000 calorias.

Agora o mais importante: Estas dicas todas podem ser otimizadas por um profissional qualificado. Na dieta Low Carb pequenos detalhes fazem muita diferença! Não arrisque a sua saúde, procure sempre acompanhamento profissional!

Até a próxima!
Turí


O que comer na Dieta Paleolítica

Pra mim a melhor dieta para alérgicos. Para muitos a melhor dieta de todas. A dieta paleolítica conquista diversos seguidores a cada dia que passa.

Devido aos seus ótimos resultados ela realmente dá o que falar.

É mais uma dieta Low Carb, mas um pouco mais radical quanto aos grãos, cereais, etc. Corta tudo! Corta também leite e derivados, diferente de outras Low Carb que já apresentei aqui.

Mas como sempre falo, tudo tem uma função específica. E acho a Dieta Paleolítica ótima para ser usada para pessoas que sofrem de muitas alergias a alimentação. Como os grãos e os laticínios são os alimentos mais alergênicos, as melhoras nessas pessoas são realmente incríveis.

O único alimento, que para diversas pessoas é alergênico que a dieta mantém é o ovo. Mas se não é o seu caso, não precisa se preocupar com isso. Pode comer a vontade. O coco também pode ser para algumas pessoas.

Como já expliquei neste outro post, a Dieta Paleolítica é uma dieta Low Carb baseada na alimentação dos homens da era paleolítica, antes da invenção da agricultura. Assim todos os grãos consumidos hoje em dia, que na verdade são a base da dieta moderna, são cortados. Os laticínios também, porque também não existia este tipo de alimento naquela época (Afinal, também não existia a pecuária).

Então, os alimentos da atualidade que mais se assemelham aos principais alimentos consumidos naquela época são: as carnes selvagens ou alimentadas a pasto, peixes selvagens (não criados em cativeiro), aves e ovos orgânicos ou caipiras, azeite de oliva extra virgem, óleo de coco, abacate, vegetais, oleaginosas, tubérculos e frutas, com moderação.

Basicamente é isso. Monte suas refeições com combinações destes alimentos. Pode comer de tudo a vontade, mas é bom lembrar em comer sempre boas quantidades de vegetais e frutas ricas em antioxidantes. As frutas consumidas devem sempre ter baixo índice glicêmico. Se não for dessa forma, uma suplementação é necessária.

Afinal, quem causa a aterosclerose?

Na aula de hoje vamos entender melhor quem é o verdadeiro vilão no processo de formação de placa de ateroma, o terror dos cardíacos pelo mundo afora!

O consumo de gordura saturada aumenta o HDL e o LDL sanguíneos. 

O HDL é uma proteína de alta densidade, conhecida já como protetora do coração, inclusive chamada por muitos leigos como "colesterol bom".

O LDL é o que tem fama de vilão no meio do povão. É uma proteína de baixa densidade, e foi atribuída a ele a culpa pelos processos aterogênicos nas artérias, uma das principais causas de morte por Doenças Cardiovasculares.

Acontece que a ciência já descobriu, que existem também 2 tipos de LDL. O Padrão A e o Padrão B.

O padrão A, é o LDL saudável, pois ele é formado por partículas maiores, menos densas, menos oxidadas e por isso não se deposita nas artérias, ou seja, não forma placa de ateroma. E é exatamente este padrão que a gordura saturada faz aumentar no organismo.

Por isso pode comer o seu queijo, sua carne e sua manteiga sem peso na consciência ;)

Já o padrão B, é formado por pequenas partículas, muito densas e muito oxidadas, principais responsáveis pela aterosclerose. 

Este padrão B sobe de acordo com o consumo de carboidratos refinados. Assim, quando estiver enfiando a cara no pão, bolos, biscoitos, refrigerantes, saiba que está se matando aos poucos ;)

A aula de hoje está terminada. Entenderam?

Caso queira saber o embasamento científico utilizado nesta aula, acesse minha bibliografia clicando aqui!

Mais um grande estudo comprova - A gordura saturada não faz mal para saúde

Esta postagem é uma releitura de A dieta de baixa gordura está morta - 1 do blog do Dr. Souto - confira a postagem original clicando aqui.

---

Até quando a informação errada vai vencer a informação científica? Até quando nossa população será mantida na ignorância?

Em uma outra postagem, já apresentei mais de 100 estudos comprovando tanto a segurança quanto a eficácia da dieta low carb high fat (Baixo Carboidrato e Alta Gordura) para a saúde. 

Agora venho apresentar mais um estudo, este bem recente, uma meta-análise imensa. 

Association of Dietary, Circulating, and Supplement Fatty Acids With Coronary RiskA Systematic Review and Meta-analysis


A nova pesquisa, realizada na Universidade de Cambridge, na Grã-Bretanha, revisou 76 pesquisas sobre o assunto —  Ao todo, os estudos revisados envolveram mais de 600.000 pessoas. Os resultados foram divulgados no periódico Annals of Internal Medicine.

E a conclusão? Adivinha? 


  • Não há evidências de que a gordura saturada na dieta aumente o risco de ataques cardíacos ou de quaisquer outros eventos cardiovasculares;
  • Não há evidências de que o consumo de gorduras insaturadas proteja contra doenças cardíacas (sorry, Becel);
  • Gorduras trans são as que realmente fazem mal (sorry again, margarinas!);
  • Gordura saturada até pode aumentar o LDL, mas aumenta também o HDL, e o TIPO de LDL transforma-se em LDL padrão A (partículas maiores, menos densas, menos oxidadas, e menos aterogênicas, isto é, uma partícula de LDL que não é propensa a se acumular nas artérias);
  • Ao analisar as concentrações de ácidos graxos específicos na corrente sanguínea, os pesquisadores acharam:
    • O ácido margárico, uma gordura saturada presente na manteiga e outros laticínios gordos, estava associado a MENOR risco cardiovascular;
    • EPA e DHA (ômega-3) estava associado a MENOR risco;
    • Vários ácidos graxos ômega-6 estavam associados com MAIOR risco (Sorry, óleos vegetais extraídos de sementes!)
Se você quiser acesse o estudo original para não vim dizer que houveram desvios de interpretação nesta postagem. Segue o link: http://annals.org/article.aspx?articleid=1846638

Boa dieta!

Dieta Low Carb - Use a biologia e a ciência ao seu favor

Longe de ser uma dieta da moda, explanada em livros desde 1920, e hoje reconhecida por mais de 100 estudos científicos como segura e eficaz, a dieta Low Carb é a dieta do momento.

E isto não é por acaso. Uma dieta que a pessoa pode comer a quantidade que quiser de alimentos deliciosos e ainda perder peso não tem como ser esquecida.

Não meus amigos, isso não é conversa de doido. É científico! É biológico! É a melhor dieta de todos os tempos!

Entenda que existe um hormônio no nosso corpo que é responsável pelo armazenamento de gordura, assim como estimula também a fome e tem outras funções. Este hormônio é chamado insulina.

Quando você consome carboidratos eles são convertidos em glicose pelo processo de digestão, indo parar na corrente sanguínea. Altos índices de glicose na corrente sanguínea são potencialmente tóxicos e degenerativos, por isso o seu corpo libera insulina para poder armazenar esta glicose nas células na forma de gordura.

Quanto mais carboidratos você come, mais glicose tem no seu sangue, mais insulina o seu pâncreas tem que produzir, e mais você vai ganhando aqueles quilinhos a mais.

Assim, fica óbvio que se você fizer uma dieta com baixa quantidade de carboidratos, o seu corpo irá manter a insulina sempre baixa, e você não irá mais armazenar gordura, isso não é lindo?

Mas ainda tem mais, quando a sua insulina está baixa no sangue, o seu corpo ativa a enzima responsável pela queima de gordura no organismo, assim ele passa a utilizar os corpos cetônicos derivados da queima de gordura como fonte de energia.

Quanto mais você se mantém em uma dieta baixa em carboidratos, mais queima gordura, possibilitando que você alcance o peso ideal para o seu biotipo sem muito esforço, sem passar fome, comendo comidas deliciosas derivadas de proteínas e gorduras naturais, e resumindo, sendo muito feliz!


Use a biologia ao seu favor. Use a ciência como parceira.  A dieta low carb é o que existe de mais refinado no assunto de emagrecimento saudável. Não fique ai parado! 

Procure um especialista no assunto, marque uma consulta e comece a emagrecer já!